CulturaDESTAQUE

Vitória da Conquista: Dia Internacional da mulher continua marcado por clamores e não por botões de rosas

Por Maria Carla

No dia 8 de maio, Dia Internacional da Mulher, as conquistenses saíram às ruas para protestarem contra todas as formas de opressão e injustiças sociais as quais as mulheres brasileiras sofrem.
A Marcha das Mulheres teve a participação de várias entidades, dentre elas, coletivos e sindicatos que se concentraram na Praça Barão Rio Branco, seguindo para a Prefeitura Municipal, Câmara de Vereadores, avenida Lauro de Freitas e finalizando o ato em frente a agência do INSS.
Entre os vários assuntos a nível nacional, os que mais marcaram a marcha desse ano foram, a violência contra a mulher, principalmente ao gritante número de feminicidios que vem assustando a sociedade. E o combate à Reforma da Previdência, um assunto polêmico, que a sociedade considera perda de direitos trabalhistas e abolição da aposentadoria para as classes trabalhadoras.

Vitória da Conquista Dia Internacional da mulher continua marcado por clamores e não por botões de rosas (2) 3

Principalmente para as mulheres do campo, como afirma a representante do Coletivo Feminista Ana Montenegro, Márcia Lemos, “O maior ataque à classe trabalhadora é a Reforma da Previdência. Não é Reforma, é o fim da aposentadoria dos brasileiros e brasileiras que produzem a riqueza deste país. Como é que as mulheres do campo vão trabalhar até os 60 anos, se essas mulheres começam na labuta com 7 anos? Como que a mulher diarista com 62 anos vai ficar pegando transporte público, passando 8h no trabalho, e retornar pra casa continuando o seu trabalho? Eu quero que os governantes nos respondam!!!” Questiona a ativista.
Houve também as pautas a nível municipal onde as mulheres reivindicam que a Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM) funcione 24h, e aos finais de semana, tendo em vista que o maior número de violência contra a mulher acontece mais nesse período.
Reivindicam atenção à zona rural onde as mulheres pedem: revitalização à política de atendimento à saúde da mulher, abastecimento de água, saneamento básico, fortalecimento da rede municipal de ensino, dentre outras demandas.
Durante o ato público foi entregue o manifesto público com todas as reivindicações à Prefeitura Municipal e à Câmara de Vereadores.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *