CIÊNCIA E TECHDESTAQUESVIRAIS

Prefeitura de Anagé e UESB firmam parceria, e produtores e agricultores receberam capacitações técnicas.

 

Depois de promover capacitações técnicas para produtores e agricultores dos municípios de Belo Campo, Tremendal e Presidente Jânio Quadros, o Programa de Apoio à Caprinovinocultura (Procriar) amplia sua atuação por meio da assinatura de um convênio de cooperação técnica com o município de Anagé. A ação aconteceu nesta sexta, 22, no campus de Vitória da Conquista.

Desenvolvido desde 1997, o Procriar oferece assistência técnica especializada no intuito de qualificar e desenvolver a produção de caprinos e ovinos, sobretudo, no Sudoeste baiano. “O propósito é a gente disponibilizar as informações que a Universidade detém para promover o desenvolvimento rural sustentável nesses municípios. A caprinovinocultura é uma atividade tradicional nesses locais, e a Universidade pode ser bastante útil para o desenvolvimento da zona rural”, explica o professor Jurandir Cruz, idealizador e coordenador do Programa.

Com maioria da população vivendo na área rural, o número de produtores e agricultores do município de Anagé é significativo e a atuação do Procriar impactará o desenvolvimento social da cidade. “Esse convênio, com certeza, irá dar um suporte para a população rural, para a comunidade agrícola. A Secretaria de Agricultura vem investindo no atendimento a esse público e esse convênio irá abrir as portas para a comunidade da zona rural do município”, avalia Elen Zite Pereira, prefeita de Anagé.

Após a assinatura do convênio, o Procriar se junta ao projeto “Umbu Gigante”, também promovido pela Uesb e parceiro da Prefeitura de Anagé. As duas iniciativas atuam no fortalecimento da economia do município por meio da qualificação da produção local.

Para o professor Luiz Otávio de Magalhães, reitor da Uesb, a assinatura do convênio é mais um passo no trabalho da Instituição de chegar efetivamente na comunidade e, principalmente, impactar positivamente a vida das pessoas. “Temos o desenvolvimento muito forte de ações de extensão, ou seja, ações que estejam preocupadas em garantir que as nossas produções de pesquisa e de tecnologia cheguem diretamente aos produtores e trabalhadores da região Sudoeste da Bahia”, finaliza.

 

Fonte: Agente Diz

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *