DESTAQUESEDUCAÇÃO

Conquista: Educação pede socorro


Ana Cristina Novais presidente do SIMMP

Por Maria Carla Rodrigues

A educação municipal de Vitória da Conquista vem passando por dificuldades já no início do ano letivo de 2019, são problemas já recorrentes que continuam prejudicando o ensino, deixando a educação distante do ideal. Segundo Ana Cristina Novais, presidente do SIMMP Sindicato do Magistério Municipal de Vitória da Conquista, a categoria vem perdendo seus direitos adquiridos por lei, “Em 2018 o professor perdeu a carreira, os monitores perderam as pós-graduações, o executivo municipal deixa de cumprir a lei, retira direitos adquiridos ao longo de muito tempo. Reivindicamos condições de trabalho, e também a comunidade que vem sofrendo muito principalmente com a questão do transporte escolar.” Afirma.
Segundo ela a situação do transporte escolar é caótica colocando em risco a segurança das crianças, que além de ser precário, muitas vezes as crianças ficam sem. Em alguns lugares o transporte escolar vem sendo utilizado de forma intermitente, “Num dia se tem aula numa comunidade, no outro dia em outra comunidade, porque o mesmo ônibus serve às duas comunidades. Tem questões que a gente não acredita, parece que estamos retrocedendo quarenta anos. A lei garante que o aluno tenha 200 dias letivos. E eu posso lhe afirmar que no ano passado a comunidade do Iguá ficou 3 meses sem aula por falta de transporte, e essas aulas não foram repostas.” Declara Ana Cristina.
A questão da merenda escolar é outro problema relatado por ela, “A gente tem cobrado, tem melhorado em alguns aspectos, mas ainda não está em conformidade. Ainda faltam alguns itens, na zona rural professores e diretores fazem ‘vaquinha’ pra complementar a merenda. No início do ano letivo constatamos que em algumas unidades só tinham aula até às 10 horas porque não tinha alimentação.” Afirma a presidente.
Segundo ela há problemas de estrutura em muitas unidades escolares principalmente na zona rural, como problemas nos telhados, mofo, “E também nos banheiros que em algumas escolas parecem que são da era medieval.” Completa.
Com o objetivo de resolver esses problemas da melhor forma possível é que a presidente do SIMMP busca o diálogo com o executivo municipal para que essas questão sejam solucionadas. ”Nós estamos sempre buscando o diálogo, é preciso que o governo avance neste aspecto.” Conclui

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *